Dream with me?

Lies… 30 de Abril de 2008

Filed under: Dreams — blackseyr @ 10:26

Image Hosted by ImageShack.us

It’s hard to understand why someone lies when that’s completely uncalled for….
Then you ask: “Why did/do you lie to me?”
That person asks for forgiveness for lying to you, once again…and you forgive, to once again you hear a new lie… A lie that is hurting the lier the most— And the lier is your best friend… You want your friend to be happy, but still, the lier keeps on lying, more and more.

“Please… don’t lie to me… don’t lie to yourself..:” we ask counteless times.
Are those requests replied to? Are the efforts we put on our yearnings worth it?
we think they are, we make our best— We try hard. We try not to feel useless towards the lier in front of us… Useless…? Yeah… that’s the word. We’re useless to that person. It’s not our fault though…. It’s the lier’s fault. The lier doesn’t let us approach him, doesn’t allow us to aid the cause… The lier lies each day more and more… it vanishes in the lies the lier itself makes up. Thunder in the lier’s head anihilates his roots. Anihilates his real self. Anihilates the one we used to know… The liers true self lies somewhere else… lies in other heart… lies in other’s minds…

“WHY DON’T YOU SEE THAT?!?!?” we yell from our lungs. Still the lier seems def. The lier does not reply… he became dumb.

You became with, someone else, a refinement of what you were with me. You became a refinement of the one I met… I was happy to see you happy. To see you weren’t lying at that time. Someone else was also happy… Four girls in your life were happy for you… three of them were happy to see you happy, making someone happy… Someone that made us be four. Someone that saw and metthe refinement of what you were with me… Can’t you come back? Can’t you learn to fight? Can’t you find strenghts to fight for your happiness? Don’t you see…. you do HAVE to fight for happiness… Such thing does not come just by wishing it… happiness needs to be fought to have it… It needs to be seen as a goal, not as a selfproclaimed and already achived since the beginning.

Learn from what you already learnt before… You live from the little things in life… Someone else also does that… that’s your half of your life. The half you gave away so easily.
We don’t ask you to come back to that person… We ask you to find yourself again… to find your REAL self once again… You’re vanishing… you’re losing your roots… You’re not yourself anymore…

I miss my lil brother…. ;_;

Anúncios
 

Tales Of Gyrtu Spoiler 22 de Abril de 2008

Filed under: Dreams — blackseyr @ 14:27

Sim… finalmente acabei o desenho… demorei exactamente uma semana a completá-lo… (também lhe dedicava muito pouco tempo… o total de horas não deve ter ultrapassado as 10h de trabalho).
E entretanto também já pus mais um capítulo traduzido na minha página de deviantArt. (ainda não tratei dos direitos de autor… até porque são caros…e eu não tenho possibilidades para tal.)

Portanto… aqui ficaram dadas as novidades.

Image Hosted by ImageShack.us

Tales of Gyrtu – chapter 3 – His name

PS. Já agora… mas que raio de mudança foi esta no WordPress?!?!? O_o tá uma compicação de primeira!!!

 

De volta aos desenhos tradicionais… 9 de Abril de 2008

Filed under: Dreams — blackseyr @ 21:52

Ou por outras palavras, desenhos que não são feitos ou sequer terminados no computador…
Finalmente convenci-me que para saber pintar no computador, é preciso bases e noções já de desenhos com os habituais lápis de cor… É escusado tentar fazer o quer que seja se não se tiver umas noções base desses desenhos. No entanto, aprendi algumas tecnicas no computador, que são algo de complicadas de realizar neste, e no desenho real (não digital), tornam-se incrivelmente mais fáceis. É obvio que têm muito menos cuidado e muito menos suavidade de cor (visto que por muito suaves que os lápis sejam, se quisermos uma camada uniforme, a cor torna-se exageradamente saturada…então para efeitos mais suaves, notam-se as falhas típicas e perfeitamente normais causadas pela gramagem do papel, dando um efeito de granulado quando observado de perto…).
Estou então agora de volta de um desenho, que é na verdade um refazer de um desenho antigo (de 2000). Desenho esse que me levou MUITO mais tarde (2005) a escrever a Tales Of Gyrtu.
Refiz entao o desenho numa folha de cor de lavanda (sim eu adoro essa cor… e é a cor que a personagem principal usa. Também para simbolizar a fragilidade dela.), e estou assim a aplicar cor sobre a folha (tal como fao em trabalhos digitais.). E diga-se que estou a adorar o resultado. Ainda para mais depois de descobrir que podia aplicar uma técnica de pintura que axava ser apenas possivel de realizar no computador, e que afinal é ainda mais facil com lápis do que com o computador. LOL.
Bem… depois ponho mais novidades.

 

Tales of Gyrtu – Há de facto quem… 3 de Abril de 2008

Filed under: Dreams — blackseyr @ 21:36

Já são três pessoas até agora que querem que eu edite esta história… Mas primeiro de tudo queria tratar dos direitos de autor para a mesma… e depois então procurar uma editora que estivesse interessada nesta história…

Pretendia ser eu (óbviamente) a tratar também das illustrações do(s) livro(s), para assim ter o máximo lucro sobre a obra… mas não faço a mais infima ideia de onde é que eu posso conseguir os direitos de autor sobre a minha *cough* obra *cough*yeah*COUCH*right*COUGH*…

Pergunto-me onde prosso tratar desse assunto e como. E se tenho que pagar alguma coisa….
É de facto uma história que ainda me está a dar um enorme gozo a escrever, apesar de não ser nenhuma escritora, e de nem uar própriamente yum vocabulário vasto. É simples, e fácil de compreender. Toda a história se baseia em temas de fantasia, romance, drama, um pouco ou nada de comédia nas descrições e algumas acções dos personagens, intrigas e batalhas fantásticas com eidolons (criaturas mitológicas invocadas). E depois de ouvir uns tantos comentários agradáveis e encorajadores àcerca da história, por quem já leu o pouco que dei a ler, senti-me invadida por uma vontade enorme de ver a minha criação publicada. Gostava de saber o resultado, a reacção do publico, se de facto atingisse algum público (espero eu a faixa entre os 14 aos 25 anos… mas óbviamente os seguintes também. Para os mais novos duvido que seja indicado para eles, visto que, apesar de ainda não aparecer nada de mais, lá mais para a frente é capaz de ter vocabulário, descrições e cenas demasiado pesadas para eles… Embora Harry Potter seja considerado um livro que abranje todas as faixas etárias, tal como o Eragon e o Eldest, e são livros até, de certa forma, algo de descritivamente violentos.)

A pergunta MOR disto tudo é… será que há alguma editora que esteja interessada nesta minha criação?…